KnW Capítulo 76: Contrato com um Demônio?

Grandinho, mas um bom capítulo. Não tenho muita coisa pra falar hoje…

Kozo = boya , é a palavra assinatura da Liliyn.


 

Capítulo 76: Contrato com um Demônio?

Três dias se passaram na mansão. Durante esse tempo, embora Hiiro tenha feito amizade com Silva e Shamoe, ele sequer teve um vislumbre da Liliyn. De acordo com Silva, Liliyn normalmente ficava no quarto dela, dependendo de Silva para levar suas refeições.

(Haa, eu realmente não ligo para a Akaloli, mas parece que essa chuva não está mostrando nenhum sinal de parar…..)

Durante os últimos três dias, não há sinal da chuva parar. Como estava chovendo continuamente por tanto tempo, Hiiro achou que o rio talvez transbordasse.
Contudo, Silva assegurou que não havia o que ficar preocupado.

A razão era por conta que os monstros vivendo no lago estavam absorvendo a Chuva Vermelha. Embora estivesse chovendo continuamente agora mesmo, havia um ponto no passado onde não tinha chuva alguma.

Por conta disso, os monstros atrofiaram e morreram. Desde que a chuva provia a eles energia, eles literalmente consideravam ela uma benção.

Contudo, para as pessoas, ela era a mais irritante dos eventos que podiam acontecer. Como não se podia pisar do lado de fora, mesmo sem Liliyn presente, tudo que se podia fazer era ficar no seus quartos, comer e dormir.

(Essa perca de tempo. Eu originalmente queria praticar minha «Word Magic», mas eu não posso usar magia agora… isso é como se eu estivesse em uma prisão.)

Hiiro estava obviamente insatisfeito a principio. Mas, na verdade, a mansão estava cheia de livros e literatura que Silva tinha coletado, acalmando o tédio de Hiiro. Hiiro definiu os livros da coleção de Silva como intrigantes, especialmente os livros detalhando os tópicos relacionados ao Mundo dos Demônios. Logo, ele aproveitou enquanto os lia.

A principio, ele tinha recebido um livro recomendado por Silva. Entretanto, era claramente um daqueles livros que o Mordomo Pervertido normalmente tinha, Hiiro imediatamente bateu na cabeça do pervertido com o livro.

Como Hiiro estava no quarto de hospedes, absorvido em sua leitura, ele ouviu o som da porta lentamente abrindo. Se o visitante fosse Silva ou Shamoe, eles iriam definitivamente bater antes. Logo, ele entendeu que o visitante era a outra unica existência que residia nessa mansão.

Movendo seu olhar para a porta aberta, ele como previsto, viu o rosto que ele não tinha visto a um tempo.

“Me de um pouco do seu tempo”

Com seu cabelo vermelho ardente, Liliyn balançava enquanto falava em um tom de comando.

“Eu recuso.”

Ele rejeitou instantaneamente. Contudo, talvez esperando essa resposta de Hiiro, Liliyn não ficou perturbada e continuou.

“Kukuku, eu vejo que você não mudou muito. Sendo capaz de me encarar com esse tipo de atitude, eu quero dizer.”
“Eu estou lendo, não me perturbe, Hikikomori” (N/T: pessoa que não sai do quarto.)
“Fun, esqueça isso e venha. Eu quero mostrar a você algo interessante.”
“…?”

Ouvindo as palavras ‘algo interessante’, a curiosidade de Hiiro despertou.

“O quê é tão interessante?”
“Como eu disse, se você me seguir você vai descobrir.”
“…….”

Os olhos dos dois se encontraram. Liliyn moveu os olhos logo apos, enquanto emitia um sorriso destemido, Hiiro fechou o livro com um *pata*.

“Onde estamos indo?”
“Logo ali.”

Hiiro seguiu depois de Liliyn que tinha saído do quarto. Entretanto ele notou que alguma coisa caiu ao seu pé assim que saiu do quarto de hospedes. Ao olhar para as costas de Liliyn ele pegou o objeto ao seu pé.

(Isto é…)

Hiiro viu alguma coisa relembrando pétalas douradas.

(A ‹Rosa Dourada› … huh?)

Na luta mais cedo com o Lagarto de Ossos Baron, Liliyn tinha consumido a ‹Rosa Dourada›. Esse pedaço deve ter caído das roupas dela quando ela passou por aqui.
Hiiro pensando nisso, por qualquer razão, ele escondeu no seu bolso e seguiu atrás de Liliyn que andava a frente.

Eles tinham entrado em um quarto mal iluminado, um quarto que Liliyn iria referir como o dela.

(Esse quarto realmente tem um gosto ruim, hih.)

Ao ver varias mascaras arrepiantes e ornamentos alinhados ao longo da parede, Hiiro tremeu os ombros. No centro do quarto tinha um grande circulo magico desenhado no chão, e uma cama solitária em cima dele. No topo de tal cama, Liliyn quietamente sentou e olhou para Hiiro.

“Ouvir dizer que seu Hobby é leitura.”
“Venha ler cada centímetro do meu corpo!!” (Desculpa, não resisti)

Hiiro interpretou isso que la ouviu isso provavelmente de Silva.

“Agora mesmo, eu estive arranjando tempo para decifrar um certo livro.”
“Um certo livro você diz?”
“Isso mesmo. Bem, eu vou dar-te permissão para olhar.”

Liliyn diz então, ela tira um livro peculiar de baixo de seu travesseiro. O livro estava enrolado em uma capa dura completamente preta, parecia não ter nada que relembrasse um titulo escrito nele.

“Esse livro que eu obtive através de varias conexões mas, aqui. Leia.”

Ao dizer isso, Liliyn jogou o livro em direção a Hiiro. Pegando isso com duas mão, Hiiro começou olhando a frente e a capa de trás . Como ele pensou, não tinha nenhum traço de titulo escrito em canto algum. Assim, ele não tinha nenhuma ideia do que era o conteúdo desse livro.

Por enquanto, Hiiro decidiu checar o conteúdo do livro, seus olhos involuntariamente arregalaram quando ele abriu o livro. Vendo a expressão de Hiiro, o olhar de Liliyn afiou enquanto ela olhava para ele. É claro, não notou.

“Isso é… por que tal coisa está nesse mundo…?”

Hiiro inconscientemente murmurou em surpresa. É claro, isso era de se esperar. Isso porque o conteúdo desse livro contia palavras que não deveriam existir nesse mundo.

“… Japonês.”

Certamente, era precisamente o que Hiiro tinha dito. Os caracteres escritos no livro eram indiscutivelmente a língua nativa da terra natal de Hiiro, Japão.

“Como eu pensei.”

Ao ouvir as palavras de Liliyn, Hiiro olhou em direção a ela. Ele imediatamente se arrependeu de suas ações.

“Kozo, eu tinha notado que você não parecia alguém nascido no Mundo dos Demônios. Não… você não é nem nativo de 【Edea】… certo?”

Ela, ao dar um sorriso estranho, uma luz duvidosa brilhou no interior dos olhos dela.

(Droga… que merdas eu acabei de dizer…?)

Como ele não estava prestando atenção, ele não lembrava o que ele tinha dito que era tão significante ruim. Contudo, da atual atmosfera, ele podia entender que ele tinha falado alguma coisa que causariam ainda mais problemas para ele.

“Você pode ler isso, certo?”

Hiiro jogou o livro de volta e fez sua usual poker face.

“Do quê você está falando? Eu so estava instintivamente chocado por como essas palavras estavam bagunçadas.”

Certamente, o livro preto estava cheio de rabiscos. Lendo, você podia dizer que aqueles caracteres eram peculiar. Ele podia facilmente ser chamado de ‘escrita bagunçada’. Contudo, vendo a através da desculpa de Hiiro, o sorriso exagerado de Liliyn estava transbordando em divertimento.

“Não se incomode, kozo.”

Falando isso, ela tirou uma flor do seu bolso. Era uma flor charmosa que relembrava uma tulipa, mas, seu tamanho era muito pequeno que cabia inteiramente na mão dela.

“Essa é chamada «Flor Voz». Seu efeito é…”

Liliyn começou a colocar magia dentro da flor. Em seguida-

“Isso é… por que tal coisa está nesse mundo…? … Japonês.”

Hiiro apertou os punhos e rangeu os dentes. Ele nunca pensou que teria sua voz gravada. O que ele tinha ouvido da flor era indiscutivelmente sua própria voz. E provavelmente as palavras que ele tinha acabado de falar. Se não fosse, seria impossível para a palavra ‘japonês’ aparecer.

(Essa fedelha, ela estava planejando isso desde o começo…)

Hiiro encarou intensamente Liliyn, contudo, ela simplesmente ignorou como se fosse uma brisa passageira e continuou.

“Bem, não há necessidade de fazer essa cara. Eu realmente não ligo quem você seja. Eu não tenho intenção de espalhar isso também. A unica coisa que eu estou interessada é você puramente.”
“…”
“Porque você parece ignorante sobre os costumes desse mundo, eu de alguma forma sabia que você não era desse mundo, que você era de um mundo completamente diferente, você sabe? Além de, essa palavra ‘jya-po-nees’. Essa é ou o titulo desse livro, ou o termo geral usado para as palavras escritas nele… estou certa?”

Hiiro pensou que ela era alguém inteligente e estalou a língua nos seus profundos pensamentos. Se Arnold estivesse aqui, ele facilmente seria capaz de engana-lo. Mas, parece que ele estava contra o inimigo errado.

“Essas palavras não puderam ser decifradas por ninguém que eu encontrei antes. Em outras palavras, esses caracteres não pertencem a esse mundo. Também houve uma invocação de heróis no passado. O herói era um salvador pertencente a outro mundo. Além disso, eu ouvi que recentemente uma invocação de heróis foi feita no continente dos ‹Humas›. Você… você é um herói?”

Liliyn perguntou com seus olhos brilhando com um *kirakira*, brilhando com uma luz de intriga.

“Eu estou certo que eu não tenho obrigação de responder, você sabe?”
“Kukuku, certamente você não tem obrigação. Eu so quero saber. Então que tal isso. Diga qualquer coisa que você deseja. Como compensação pelo seu desejo, me conte sobre você.”
(Pois comece a se despir sua akaloli hentai) (N/T: prometo que parei de verdade agora.)

Estendendo sua mão para Hiiro. Uma sensação desagradável passou por todo o seu corpo, a sensação que parecia como se ele estivesse fazendo um acordo com o demônio. Mesmo que ele pensou que fosse sua imaginação, não era inteiramente falso. A garota em frente de seus olhos era certamente uma garotinha, não. O que possuía a aparência de uma garotinha era na verdade um individuo sagaz que tinha vivido dez vezes o tempo de vida de Hiiro.

Contudo, como a situação era unilateral, Hiiro sentiu insegurança. Ele tinha uma ideia para cortar o silencio atual, contudo, ele foi puxado pelas palavras prometendo completar seu desejo. Ele começou a pensar como tirar máximo proveito da proposta dela.

Do que ele tinha ouvido de Silva e Shamoe, Hiiro entendia que ela era certamente não era o tipo de pessoa que iria espalhar informação sobre os outros. Por conta disso ele particularmente pensou que as ideias dela eram muito extravagantes.

“… Eu entendi. Primeiro, ousa meu pedido.”
“Kukuku, Muito bem.”

Ouvindo as palavras de Hiiro, o rosto dela brilhou e ela retornou acenando com a cabeça.

“Declare qualquer coisa que você deseja. Mesmo que você diga que deseja meu corpo, eu não vou ligar, você sabe?” (N/T: !!)

Vendo Liliyn declarar brincando, Hiiro a encarou com olhos meio abertos.

“Como se eu estivesse interessado em um corpo tão reto.”

Ela foi cortada e jogada em apenas um ataque.

“R…reta… você diz…”

Como se ela tivesse recebido um choque considerável, o corpo dela tremeu com um *Furufuru*

“I-isso… mesmo que ele seja so um pobre garoto… eu vou pulverizar o seu cérebro em um cog…”

Embora as palavras de Liliyn tivessem encharcadas com intenção assassina, Hiiro não ligou e abriu sua boca.

“Eu quero a permissão para a 【Grande Biblioteca Fortuna 】.”
“Eu não vou está satisfeita simplesmente matando ele… eu vou mante-lo vivo e mostrar a ele o inferno… espera, o que você disse?”
“Como eu disse, eu quero a permissão para a 【Grande Biblioteca Fortuna 】. Não so isso, mas o level mais alto de liberação.”
“… quando você diz o level mais alto, você está falando que você quer ver os livros no «Subsolo 5» o qual precisa do certificado feito pela Família Royal?”
“Isso mesmo. Livros proibidos e manuscritos arcaicos, parece que la tem varias coisas interessantes, não é?”
“… hey, kozo. Eu não sei se você sabe disso, mas aqueles que estão permitidos a ver a literatura do «Subsolo 5» não basicamente somente a realeza. Mesmo que eles dessem permissão ao publico, a chances de obter um seria extremamente pequena.”
“Aa, é precisamente por isso que eu estou dizendo que eu quero obter tal permissão.”
“… você. Já te disseram que você é muito autoritário?”
“Eu vou devolver essas palavras diretamente para você.”

Eles mantiveram um impasse com seus olhares por um tempo, o primeiro a quebrar foi Liliyn.

“…haa. Por que você está indo tão longe? Qual seu objetivo?”
“O quê você está dizendo? Livros são coisas feitas para ser lidas. Não é algo feito para ser guardado num canto escuro. Eu estou viajando ao redor do mundo tentando ler todos os livros que eu posso.”
“Hou, então é simplesmente por curiosidade, huh?”
“Algum problema?”
“Não…”

Ela sorriu alegremente e continuou a falar.

“Contudo, seria bom se essa curiosidade não destruísse você algum dia.”
“Eu não vou morrer. Então, está bem.”
“O qu… pu-! Kuahahahahahaha! Como eu pensei, você definitivamente é interessante! Que tal isso, você realmente não tem intenção de se tornar meu!?”
“Você é tão repetitiva. Eu não tenho intenção de me tornar seu.”
“Kukuku, bem, isso provavelmente vai mudar com o tempo. Pessoas mudam. Eu vou trazer você aos seus joelhos algum dia com meu charme.”
“Esse dia definitivamente não vai chegar.”
“Kukuku, nos veremos sobre isso.”

Dizendo isso, Liliyn abriu a gaveta de uma prateleira que tinha frascos colocados em cima. Tirando alguma coisa da gaveta, ela jogou para Hiiro com um *hyoi*. Com sorte, Hiiro pegou e confirmou o que era.

Era um pedaço de cartão regular que tinha o nome dela escrito nele. Inspecionando, a palavra 【Fortuna】  estava escrita, com uma marca dourada pressionada nela.

“Essa é a permissão. Além disso, é a que você pediu, uma com o maior level de liberação.”
“Isso é… huh.”

Embora ele tenha dito seu pedido descrente, sabendo que isso era um desejo que improvavelmente seria completado, ele sem cerimonias obteve a permissão, ele estava obviamente surpreso. Por conta disso, ele começou a se perguntar ainda mais a identidade da pessoa diante dos seus olhos.

Ela tinha indicado mais cedo, aqueles que possuem a permissão para o «Subsolo 5» consistiam praticamente da realeza. Ainda assim, ela tinha tal permissão em sua posse. Sabendo desse fato sozinho seria suficiente para assustar qualquer um, Liliyn vangloriou-se ao estufar o peito com orgulho, colocando um sorriso alegre.

(Mesmo que ela tenha dito para declarar meu desejo, eu não tinha expectativa quando disse a ela. Fale sobre um golpe de sorte.)

No que diz respeito a favores, Hiiro tinha mais um no stock. Se esse tivesse sido incapaz de ser concedido então Hiiro iria determinar que as negociações tinham falhado, fazendo ele imediatamente partir desse lugar. Contudo, como se ele tivesse sido desapontado de uma boa maneira, o fato que Hiiro estava confuso era inquestionável.

Isso provou a extensão de quão difícil isso era para uma pessoa normal ser capaz de obter a permissão de maior level da 【Grande Biblioteca Fortuna 】.

A 【Grande Biblioteca Fortuna 】 era a biblioteca localizada na【Capital Evila: Xaos】. A sua coleção de literatura era incomparável nesse mundo. Era conhecida como a «Fonte do Conhecimento». É dito que não importa qual problema você tenha, a resposta estaria entre aquelas paredes.

«Humas», «Gabranth», «Evila», «Pheom». A biblioteca tinha adquirido e coletado a literatura de todos os continentes. Contudo, a biblioteca funcionava com um sistema de permissão. Em ordem para conseguir entrada, você deve obter permissão de ambos o diretor da biblioteca e do país.

A biblioteca tinha dois andares superiores e quatro subsolos. A medida que vai mais baixo, os livros guardados são mais importantes, então, se torna mais difícil de conseguir acesso a eles.

Basicamente, «Evila» normalmente era permitido no «Subsolo 1», um andar que tem livros normalmente vendidos em qualquer canto. Andarem ainda mais baixo que «Subsolo 2» e «Subsolo 3» requeriam não so permissão do diretor da biblioteca, como também do país. Em outras palavras, la tem andares que precisam da permissão da Família Royal para acessar.

O qual era conhecido como «Subsolo 5», era o andar onde os livros que nunca foram revelados para a população geral eram guardado. Hiiro definitivamente queria ler tais livros.

Contudo, ao ouvir essa historia, Hiiro começou a se preocupar em como ele iria conseguir obter o acesso para tal lugar. Embora ele pudesse usar «Word Magic» e tentar se esgueirar dentro como um shinobi, se possível, ele queria pacificamente receber o acesso para tal local. Então, ele pegou a oferta de Liliyn sem dar muito pensamento para isso.

(Essa pirralha… não, ela é uma velha, huh. Realmente, quem no mundo ela é…)

Diferente dele mesmo, Hiiro sentiu-se levemente curioso dobre Liliyn. Obviamente para tais pensamentos dele, Liliyn começou a falar.

“De acordo com o contrato, eu dei a você os meios de entrar em 【Fortuna】. Por isso, agora, escute as minhas demandas.”

Hiiro olhou para Liliyn e ele colocou sua mão no seu queixo. Silencio seguiu brevemente.

(É melhor eu fazer uso do que eu posso.. huh.)

Pensando assim, Hiiro quietamente abriu sua boca.

“…se é so ouvir você então eu vou ouvir.”

Ao ouvir as palavras de Hiiro, Liliyn mais uma vez mostrou um grande sorriso.

Anúncios

14 comentários sobre “KnW Capítulo 76: Contrato com um Demônio?

  1. Não tem muito oque dizer sobre o cap, apenas que cada vez mais por algum motivo eu tenho começado a gostar dms da Liliyn realmente não consigo entender o charme dela ; – ;

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s