A História de uma Fantasia Vazia – Final!?

Olá todos! …. alguém ai? Não? Apenas teias de aranha!? Okay… eu aceito minha punição por sumir. Mas como prometido eu terminei HFV! E também vou trazer mais coisas pra cá, não gosto desse blog morto! Bom, se o final não agradou você sinto muito por perder o gás, mas vou me esforça na próxima! (Obs: fiz todo pelo celular, qualquer erro avisa que ajeito.)

__________________________

Clap clap clap…
Uma salva de palmas tomava o ambiente da biblioteca que estava com o dobro de pessoas na qual foi projetada para suportar. Era um tanto quanto comum isso acontecer em lançamentos de livros famosos, dessa vez, a única diferença era que o livro não era tão famoso ou melhor, seu autor não era famoso.

“Obrigado a todos por terem vindo hoje, espero que ‘A Fantasia Vazia’ venha a bater todas as expectativas de vocês, ela contem uma parte de mim.”

Falou o autor encerrando seu discurso é descendo do palanque para se dirigir a bancada onde ele ficará autografando os livros por um bom tempo. Em seu breve percurso três garotas e um rapaz o param.

“Quem imaginaria, você um escritor. Mas acho que combina bem, como eles dizem, os escritores tem alguns probleminhas aqui.”

Uma das garotas diz com um riso enquanto aponta para sua cabeça.

“Ha.ha. quando quem fala isso é uma lésbica possessiva e psicopata realmente fica engraçado.”

Com a resposta do escritor ela se preparou para retrucar mais foi impedida pela outra garota.

“Ignis, Lina, parem com isso… hoje é o lançamento do livro da nossa história.”

O outro rapaz quem responde com um sorriso confuso, ele não sabia bem como se sentir a respeito da situação.

“Quando você fala assim parece que somos velhos, só fazem seis meses…”

Com uma expressão séria Ignis leva o livro em suas mãos.

“Seis meses…. e nossas memórias daqueles meses praticamente já foram totalmente esquecidas… mas enquanto tivermos isso, nunca iremos esquecer.”

“Nunca vou aceitar que tudo aquilo foi uma ilusão…”

Com o comentário de Nina, Louise grita em protesto.

“Não! Aquilo foi real! Morgana está morta! Valense também se sacrificou por nós! Não importa o quanto ele apague minhas memórias, eu jamais vou esquecer disso!”

E mais uma vez o silêncio retorna ao grupo, que é quebrado pelo questionamento de Ignis.

“Dalos não veio?”

Quem responde sua pergunta é Rhuan.

“Não, já faz um bom tempo que eu não tenho noticias dele. Ele parece estar um pouco mal.”

“Das últimas vezes que o vi, estava escrevendo algo em um caderno.”

“Ah! Eu também vi isso.”

Interrompendo a conversa do grupo uma funcionária da livraria se aproxima.

“Sr.Ignis, está na hora dos autógrafos.”

“Ok já estou indo. Pessoal, mais tarde podemos conversar.”

Ignis então se separa do grupo.

Rhuan, Louise, Nina e Lina voltam para a sala VIP onde conversavam enquanto esperavam Ignis terminar. No momento apenas os quatro estavam na sala VIP já que todos os funcionários estavam auxiliando na fila de autógrafos.

Um suspiro corta o silêncio e Louise abre o livro de Ignis.

“Em pensar que tudo aquilo aconteceu porque uma garota estava desesperadamente precisando de amor…”

Amor, amor parental, carinho, afeto… era o que a garota mencionada havia perdido.

“Falando nela… como será que ela está?”

“Pouco me importa.”

Para o retruco de Lina, Nina pergunta com um tom de sarcasmo.

“Você ainda está com raiva da Mia? Ou você simplesmente não liga para mais ninguém além da Louise?”

“Tsc! Mesmo sabendo que a culpa não foi dela, eu não tenho em quem mais depositar minha raiva.”

Mia, a garota em questão, a raiz de todos os acontecimentos dos últimos três meses que eles viveram em um ‘outro mundo’.

Rhuan pega o livro das mãos de Louise e abre novamente no começo do livro.

“Os pais dela se separam quando nova, a guarda ficou para a mãe, seu pai voltou para seu pais de origem, Japão, e sua mãe ficou vivendo uma vida de luxo aqui com a pensão. Ela sofria maus tratos em casa, constantemente apanhava da mãe se fizesse algo errado, a única escapatória dela era a Universidade que mesmo não tendo nenhum amigo, ela podia ficar longe de sua mãe por um tempo. Por isso ela frequentava bastante a biblioteca, até mesmo aos finais de semana com a desculpa de precisar fazer trabalhos.”

_
Porém, um dia tudo foi por água abaixo, sua mãe fora a Universidade falar com a diretoria para ver como progredia a construção do novo centro acadêmico na qual ela estava finaciando, por um acaso comentou como sua filha era dedicada, contudo ela descobriu o oposto, as notas dela não estavam tão boas, apenas o suficiente para passar de semestre, e os tais trabalhos não existiam.

Furiosa, ódio, nojo, era a descrição que ela tinha por sua própria filha, algo que uma mãe nunca deveria sentir por seus filhos. Encontrando com Mia ainda no campos da Universidade que havia ido para ‘estudar’ ela deferiu um tapa no rosto de Mia e com olhos de repúdio falou ao olhar a garota caída no chão “eu vou internar você, talvez um Colégio de freiras, talvez eu encontre algo pior.” O impacto na garota foi demais, ela não queria aquilo, com todas as suas forças ela se levantou e empurrou sua mãe.

Com isso, a última engrenagem começou a girar para dar início a nossa história.

A mulher foi jogada para trás e caiu sobre uma enxada que estava na obra ao lado que perfurou seu peito. O mundo por um segundo congelou naquela cena, até que lentamente, da cara espanto de sua mãe um sorriso destorcido apareceu e suas últimas palavras quebram totalmente o pouco de razão que ainda existia dentro de Mia, ” ha ha! Você mesma conseguiu um lugar pior para ficar presa!”.

Presa, Mia não queria de forma alguma ser presa, ela não merecia, ela só queria viver normalmente como todo mundo, ela só queria receber um pouco de amor.

Nesse momento, que seu desespero chegou ao extremo, seus olhos estavam sem vida e sem vontade de viver.

“Você, você, você, garota!”

Mia ignora totalmente a voz distorcida que tentava falar com ela.

“Você garota! Eu posso realizar um desejo seu! O quê vai ser?”

A voz entra pelos ouvidos de Mia e sua atenção é tomada pelas palavras ‘realizar um desejo’, se parecia verdade ou não, ela não tinha o que perder. E em seu desespero ela fala o que ela sempre quis.

“Eu quero fugir daqui! Para um lugar mágico onde ninguém vai obrigar a nada! Um mundo dos contos.

“Hahahaha! Egoista! Egoista! Com sua própria mãe em a beira da morte, você escolhe por esse desejo kashkashkash.”

Ao terminar sua risada bizarra o espaço sem forma destorcido comecou a aumentar envolvendo a garota e todo o seu redor…
_

Rhuan então fecha o livro com um suspiro…

“Não importa quantas vezes eu leia como tudo começou eu sempre fico abismado.”

Nina então prossegue…

“Essa distorção… como era? Eu não fui para o salão do trono, eu… fiquei sem mana depois da luta contra o Grande General…  Ha! Minha memória está muito fraca, arrgg que ódio!”

E Louise…

“Sim, foi quando Valence se sacrificou por nós, eu não vou permitir que eu me esqueça disso.”

E mais uma vez o clima entre o grupo ficou pesado, os cinco ficaram mais próximos depois de voltarem ao mundo real, porém quando o grupo se reunia o ar sempre era estranho, um sentimento difícil os sufocava, mesmo com suas memórias dos acontecimentos lentamente sendo esquecidas o corpo e a alma deles não esquecia o que eles haviam passado.

O mundo criado pelas vontades distorcidas de uma garota desesperada, no qual tinha o objetivo de satisfazer os desejos dela. Receber atenção e ser importante, com isso ela foi colocada como uma princesa, e uma princesa precisava de um Príncipe na qual deveria ir ao seu encontro com seu cavalo branco, o Príncipe não viaja sozinho e seus três fiéis companheiros foram convocados, porém eles precisavam de inimigos e três bruxas foram convocadas, por fim, um coringa para selar a estória.

Entretanto os papéis não foram seguidos como a garota esperava. Desde o princípio o Príncipe, Ignis Calistus, se desviou de seu papel causando sua morte na primeira cidade em que chegou, porém por seu papel ser essencial para o cumprimento do desejo sua morte não poderia acontecer. O Príncipe deve salvar a Princesa.

Sem o Príncipe os três companheiros perderam o lugar na estória virando um grupo totalmente independente. As bruxas tiveram sua existência levemente distorcida pela vontade da garota que desejava que coisas ruins acontecessem a elas.

O Coringa. A existência que foi capaz de completar o objetivo do mundo mesmo depois de todos os papéis serem abandonados, o homem de meia idade no qual teve a menor participação na história, Miyano Hiroshi, ele que estava a centenas de quilômetros de distância do local do acidente de Mio e sua mãe, ao ser teleportado apareceu em um lugar igualmente distante e sozinho, sobreviveu utilizando de seus conhecimentos, até que conseguiu se estabilizar como um Artesão e por sorte se encontrou com Ignis.

Hiroshi, pai de Miyano Mio, a pessoa que Mio mais queria no momento de desespero, seu pai, que na infância sempre a amou mas perdeu a guarda de Mio devido ao seu trabalho que o obrigava a viajar constantemente. O subconsciente de Mio o arrastou para dentro de seu mundo, porém sem nenhum papel em específico.

Durante a batalha de Ignis e Waldrich. Mio fica revoltada pelo fato de Ignis estar lutando apenas para salvar Yin, ignorando o motivo dele ter vindo para esse mundo como o Príncipe que deveria vir ao seu encontro e ama-lá, em seu estado de raiva Mio esfaqueia Yin causando sua morte. Ignis fica em fúria e utiliza magias negras que consomem a vida do usuário, mas como ele é incapaz de morrer seu corpo apenas fica mais forte  e acaba por ficar zumbificado sendo capaz de incapacitar Waldrich.

Ignis então mata Mio, porém, assim como ele, ela é uma personagem importante para o mundo e volta a vida da mesma forma de Ignis.  Uma mancha de espaço distorcido aparece então ao lado de Mio que em pânico começa a gritar para a mancha para que a tire desse mundo louco. 

Em resposta uma risada falha e distorcida vem do espaço distorcido, a entidade responsável por criar esse mundo, na qual foi intitulada de Fractal. Apenas um desejo e o desejo ainda não havia sido comprido, a princesa deveria ser salva por alguém que a amasse. 

Ignis ao descobrir a origem desse mundo e o motivo dele estar nele entra em fúria e começa a matar Mio, tentando destruir seu corpo completamente para que seja impossível ressucita-lá e o desejo não tenha mais objetivo.

Nesse momento, Hiroshi que estava no navio que caiu no castelo aparece acompanhado de Cecília. Hiroshi se desespera ao ver o corpo de sua filha e corre para impedir Ignis.

O Coringa enfrenta o Príncipe para salvar a Princesa.

O Pai enfrenta o Demônio para salvar sua Filha.

Aquele que ama Mio verdadeiramente enfrenta a Morte para salva-la.

De repente Fractal expande o espaço distorcido que indica sua presença e engole o mundo inteiro. 

O desejo foi concluído.

De volta em seu mundo real, Ignis estava caído no chão, seu corpo estava normal, ele novamente era um humano normal, ele não sabia se o que aconteceu era real, mas seu corpo e alma gritavam de alegria por estarem seguros, logo em seguida, ele desmaia por fadiga mental.

Dalos, Nina e Rhuan acordam no carro de Ignis, os três imediatamente confirmam seus corpos e o ambiente ao redor, e um grito de alegria toma o interior do carro.

Louise e Lina por outro lado estavam paralisadas, a cena que elas tentavam esquecer estava diante de seus olhos, o corpo de Morgana estava em sua frente, frio, com o pescoço torcido. Louise grita em horror e Lina vomita no local. Elas haviam voltado normal, mas sua amiga se fora para sempre.

Hiroshi imediatamente ligou para Mio que os prantos explicou os acontecimentos,  no dia seguinte Hiroshi estava ao lado de sua filha.

E após isso as memórias de cada um foram lentamente sendo esquecidas, encerrando uma história de fantasia que não deixou nada além de um vazio no coração e na memória.

Entretanto…

Para um deles… aquele mundo bizarro era mais interessante que o mundo real…

Anúncios
Postado em Ivi

8 comentários sobre “A História de uma Fantasia Vazia – Final!?

  1. Há alguns erros de corretor ortográfico, que não estou com vontade de comentar – nada que impeça a leitura, já adianto.

    Agora, sobre a história… que caralhos era a Yin então? Mas tanto faz, pelo menos terminou, parabéns xD

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s